terça-feira, 28 de julho de 2009

Governo Serra e a farra do software na Educação



PARTE 2
(em continuação ao
José Serra – o pai da comunicação)

Depois de criar o agílimo call center (08007770333), pela Call Tecnologia e Serviços LTDA, ao custo de quase 4 milhões de reais, a Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) concluiu que faltavam, além de mais recursos humanos, equipamentos e software(s) para o trem andar como convém a uma repartição pública tão augusta. Não se esqueça do título do edital ganho pela Call: contratação de serviços terceirizados de teleatendimento. (Bi)Terceirizados, porque na FDE já existia o mesmo serviço. Pelo jeito não estavam dando conta – ou estavam demais.

Você já deve ter visto o tal edital 52/0020/09/05, citado anteriormente. Mas se perdeu a chance, recorra a ele agora e leia que a FDE fez determinadas exigências muito específicas às concorrentes, assim como assumiu um compromisso de honra:
  • que fosse habilitada como um Parceiro GOLD Microsoft, com a Competência Advanced Infraestructure (sic) Solutions;
  • que a ganhadora tivesse em seu quadro permanente, no mínimo, 1 (um) profissional detentor de certificação CRM Dynamic MB2-632;
  • que A CONTRATADA deveria contemplar 300 horas anuais, com técnicos certificados CRM Dynamic MB2-632, para o desenvolvimento e customização da ferramenta sempre que a CONTRATANTE solicitar deste serviço;
  • que ela deveria prover a integração da aplicação CRM Dynamics Microsoft com o PABX Alcatel (Sistema Alcatel – Lucent – OmmiPCX Enterprise – Edital: item 6.4.1)
  • que deveria utilizar o CRM Dynamics Microsoft e o banco de dados SQL Server 2008 para a implementação do Software para a Central de Atendimento, contemplando características básicas conforme Item 6 do Anexo II – Especificações Técnicas. A licença de software para o produto CRM Dynamics Microsoft será fornecida pela FDE. Este é o compromisso da FDE, a promessa que a levará a encher sua cestinha com outras compras e todas as conseqüências do ato.*OBS – ver as obrigações da Contratante (FDE) no item 6.20 – são ótimas.
Não é moleza montar um parque temático da Microsoft como faz tão bem o Estado de SP em suas dependências. Obedecendo a regra para nós somente o melhor, o mais caro, mais complicado a FDE exige o tal enigmático certificado Advanced Infraestructure (sic) Solutions – num Inglês de novela das seis. Muito "difícil" obter o título. Mais difícil ainda é saber quem são as empresas certificadas e "escolher" uma entre milhares. A exigida certificação CRM Dynamic MB2-632 não é para todo mundo, de acordo com as buscas no Google. Por falar nisto, experimente pesquisar aí (opção páginas do Brasil): "certificação CRM Dynamic MB2-632"; "CRM Dynamic MB2-632"certificação; "Dynamic MB2-632"; "Dyn MB2-632"; "Dyn MB2 632"; "CRM MB2 632".

O que há de mais interessante nos resultados? Em todas elas aparece o link para o Edital da FDE/Call. Parece coisa de encomenda, de tão perfeitamente casada. Guarde esta informação valiosa, mais adiante voltaremos a ela. O que se quer de alguém com tal certificação é que saiba domar o bicho, que resolva os pepinos vários, contorne a situação, ensine à plebe a usá-lo e deixe todos felizes. A Call foi a resposta. Detalhe: quem certifica as empresas é a própria Microsoft e, portanto, ela é quem na prática indica qual será a empresa com "competência para implantar e fazer a manutenção de seu software".

Quanto ao CRM Dynamics Microsoft, o Estado já o tinha, de fato; portanto não era uma promessa vã. Para realizar a façanha do call center, idealizado desde meados de 2008, a FDE resolveu comprar software aos borbotões e muito específicos, da eterna Microsoft. Lançou, então, em 19 de dezembro de 2008, o Pregão (Presencial) de Registro de Preços 56/0149/08/05 para contratação do direito de uso definitivo, não exclusivo, de licenças de software nas modalidades select academic e school agreement. No dia 16 de janeiro de 2009 saiu em DO a homologação da ganhadora: a Brasoftware Informática LTDA (CNPJ: 57.142.978/0001-05) – outra empresa fornecedora recorrente nas áreas governamentais, uma baita campeã premiada da Microsoft.

Agora além da Band, Alston, Editora Abril, Folha de SP, Rede Globo, COMGÁS, Prefeitura de SP, PRODESP, Metrô, Secretarias de Segurança, Meio Ambiente e Fazenda, Nossa Caixa, CPTM, UNESP, UNICAMP, DERSA, Tribunal de Contas do Estado, Departamento de Estradas e Rodagens, CEET Paula Souza, Oncocentro, CETESP, ARSESP, CESP, Fundação CASA, PROCOM, Procuradoria Geral do Estado e Diebold-Procomp entre outras, ela tem novamente a FDE como cliente. Portanto, a Fundação cumpriu a promessa com a empresa Call Tecnologia de fornecer o software para a sua central de chamadas.

Os CRM (Dyn Crm Pro Svr All Lng Lic/Sa Pack Mvl e Dyn Crm Pro Svr All Lng Lic/Sa Pack Mvl 5 Clt) vieram em meio a uma paulada de outros programas, conforme o Edital, assinado por João Thiago de Oliveira Poço (Diretor de Tecnologia da Informação), e Magda Moura Motta Nieto (Gerente de Sistemas de Informação). O mesmo pode ser visto no Cadastro Pregão, do Governo de SP, porém com informações diversas. Basta entrar e escolher a opção Pesquisa Vencedor; daí colocar o nome Brasoftware e aguardar os resultados; ao surgirem encontre o número 56/0149/08/05 – outra opção esta tabela aqui. No Cadastro Pregão há 53 ocorrências para o mesmo processo, que são justamente as compras feitas no pacote. Os CRM estão no meio. Não há outra compra semelhante registrada em DO, portanto, só podem ter sido adquiridos neste pregão. Se recorrermos ao DO de 7/fevereiro/2009, vemos que se confirmam os dados do Edital; os nomes de alguns foram reti-ratificados em DO no dia 11/junho, mas é tudo a mesma coisa.

A obnubilar o astro rei por meio d’uma poruca

Não vemos em DO o valor da negociação, nem aproximado, já que a empresa "ganha" por software instalado. Por outro lado, no site Pregão temos que o Valor Total (geral) Negociado é de R$ 2.796.848,34 – mas isto não é verídico. No site Pregão as quantidades são diversas das que aparecem em DO e no Edital, pois no Pregão são consideradas as quantidades mínimas, no DO as quantidades máximas – o correto. Portanto o valor do negócio no site Pregão não pode ser aquele que consta. Antes fosse.

Daí você me pergunta: Como assim, NaMaria? Um site do governo não mente jamais; tu tá doida, é?

Não mente mas confunde e omite. Então, para adiantar teu expediente, por favor dê uma olhada nesta singela planilha completa feita por mim – com quantidades corretas, com a reti-ratificação, e sobretudo, com os valores. Viu? Gostou? Nada mal para uma empresa, tipo a impecável Brasoftware, fazer um negócio capaz de chegar à bagatela de R$97.801.694,39.

Somente se uma bomba atômica caísse neste instante sobre a Brasoftware e a empresa fornecesse as quantidades mínimas, ela levaria o dinheiro que o site Pregão mostra. Como isso dificilmente acontecerá, aquele pequeno valor de quase cem milhões pode ser o limite a ser embolsado – caso não haja outra ratificação, prorrogação etc.. Não é sublime? Os irmãos e donos da contratada, Jorge Sukarie Neto e Eduardo Fouad Sukarie, estão pra lá de otimistas com seus negócios. Quem não estaria?

Passado o surpreendente valor, repare agora no item 45 da tabela completa: Forfrnt Clnt Sec Mgt Cnsl All Lng Monthly Subscription Mvl W/Sql. Percebeu o preço da coisa? Só nisso a Brasoftware pode levar R$68.754.600,00. Não é um absurdo descomunal o valor de R$4.583,64 para uma licença? O troço é mais caro que bons computadores completos. E ainda a FDE quer comprar 15 mil deles. Perguntas:
  • Para colocar onde?
  • Seriam para os computadores que funcionam como servidores no Acessa Escola? Projeto este que usa as toneladas de computadores "alugados" do Consórcio Educat (CTIS/PROINFO-DIEBOLD/POSITIVO) – já com sofware (Windows Vista Business All Lng Upg/SA Pack MVL Partners in Learning e Office Enterprise All Lng Lic/SA Pack MVL Partners in Learning; de 19.500 a 31.000 licenças mensais) –, que por sua vez fazem parte do projeto Computador na Escola?
  • O mesmo Acessa Escola fenomenal que deve usar o Blue Control da MStech – que não funciona, mas foi especialmente feito para a FDE?
  • E os outros itens da compra? Servem a quais máquinas e de onde?
  • Por que há licenças de 1 e 3 anos? No próximo ano a FDE fará novamente as mesmas compras - ou diferentes? Ou deixará as máquinas "descobertas" como já aconteceu no passado, caracterizando pirataria?
  • Quem saberia responder essas questões, que não o Secretário Paulo Renato Costa Souza e sua gentil equipe?
NOTA: Três pagamentos foram efetuados à Brasoftware em julho: R$ 258.406,55; R$ 142.617,34 e R$ 27.664,00 – todos assinados em 3/julho/2009. Mas só não se sabe quais dos softwares ou quantos, para quê, nem onde estão instalados ou para quem. Detalhes, detalhes...

Maravilha. Agora já sabemos como a empresa "de qualidade", Call Tecnologia e Serviços, avançou do Centro-oeste do país para agir na Prefeitura de SP (com José Serra) e depois direto para os negócios do Estado (com José Serra) – e se expandiu a ponto de ter dois escritórios em SP e um crescimento de 300% só nos últimos três anos.

Também sabemos que são necessários quase cem milhões de reais em softwares da Brasoftware (Microsoft) para tentar fazer funcionar a Call e, conseqüentemente, o Consórcio Educat, além das tarefas da MStech junto aos alunos estagiários do Acessa Escola.

Mas ainda faltam personagens: o PABX IP, outros equipamentos/serviços, o atendimento ao cliente, os treinamentos dados na FDE...

Aliás a imagem acima é, na verdade, mais uma pergunta a quem interessar possa: se no Edital da Call Tecnologia e Serviços está previsto que a própria empresa daria os treinamentos do CRM ao pessoal da FDE e outros (ver por exemplo: item 14.1.3; Categoria Profissional: Coordenador - Perfil Profissional Básico; (perfil) Gerente de Central de Atendimento, e item 17.1.3), por que aparece na apostila de treinamento CRM o logotipo da MStech e não o da Call? A quem, afinal, cabe esta farfúncia?
Boa pergunta. Há outras.

21 comentários:

  1. NaMaria,

    Taí, fruto de um trabalho de pesquisa, monumental!!!
    Lemos, nos embasbacamos com a coisa, e agora? Quem regula esta coisa?
    MP, Tribunal de Contas e...? Vai ficar como a sindicância dos livros pornodidáticos?
    Abçs.

    ResponderExcluir
  2. e o Dr Serra quer a Presidência... que sejamos livrados de tal destino

    ResponderExcluir
  3. Marise - Não tenho a menor idéia. Estou tentando fazer minha parte, que é documentar o que sei serem tremendas bandalheiras. Graças ao Cloaca, vocês estão lendo também e sentindo nas vísceras tamanhos desmandos. E graças a pessoas como você, chegamos onde jamais sonhamos chegar, o que muito me honra, incentiva. O que mais me dói não é o fato de não saber o que vai acontecer, mas o fato de que tudo isto são as mais pura das verdades - e estão acontecendo.
    Sabóia Jr. AMÉM! Creio, sem dúvida, que com alguém realmente responsável nos comandos seremos melhores e mais felizes que muitos países de "primeiro mundo". Como se vê, dinheiro não falta. O que falta é sabedoria voltada para o bem geral.

    ResponderExcluir
  4. Parabéns, NaMaria. Imagino o trabalho que dá decifrar tudo isso. Já pensou em dar uma olhada nas obras do Rodoanel?

    Abraço

    ResponderExcluir
  5. Mil vezes os softwares da Microsoft do que qualquer porcaria de software-livre, que apenas passa a impressão de economia, mas no papel sai muito mais caro que qualquer software proprietário.

    Certíssimo o governo Serra nesse quesito. O Governo Federal poderia aprender com o exemplo.

    ResponderExcluir
  6. Olha só de onde veio o comentário acima, NaMaria.

    Microsoft License (216.52.28.200) [Label IP Address]

    United States Reno, Nevada, United States

    Date Time Type WebPage
    28th July 2009 18:16:59 Page View No referring link
    namarianews.blogspot.com/2009/07/governo-serra-e-farra-do-software-na.html
    28th July 2009 18:20:53 Exit Link https://www.blogger.com/comment.g?blogID=149457456221959761&postID=7284458817160887590&isPopup=true
    28th July 2009 18:20:59 Page View No referring link
    namarianews.blogspot.com/2009/07/governo-serra-e-farra-do-software-na.html

    ResponderExcluir
  7. Muito bom o levantamento, o que mais me chateia é que isto é REGRA! Este tipo de ação é REGRA!! Eu não tenho esperança que isto por algum motivo mude, são tão sujos que não dá para limpar. Dai veja a declaração do Cel. Sir Ney(O Sarney pra nós): "Se houve crime para mim, houve para todos."
    É NaMaria...triste é futuro que se reserva para nossos netos...Ou quem sabe num flamejante lampejo tudo muda??? Adoraria, mas to tão descrente...
    Mais uma vez, parabens pelo levantamento! Manda para a Procuradoria, deve ter alguém que se interesse por isto(Eu espero)!

    ResponderExcluir
  8. Hmmm... Há um erro de metodologia que ao meu ver invalida todo o seu trabalho.

    O link para o edital do pregão é correto, e lista o que foi contratado.

    O que está ali pode até ser modificado por via de aditivos, mas dificilmente de 2 milhoes para quase 100 milhoes.

    O que voce toma por licitado, é na verdade uma ata de tomada de preços. Os valores de compra minimo e máximo são a baliza do fornecedor para com o contratante, de forma que:

    - O contratante deve comprar NO MINIMO X peças do fornecedor, por exemplo, pq o fornecedor negociou o preço em no minimo x peças com o fabricante (normalmente esse número não é menor do que o que foi licitado. digo normalmente pois há casos de licitações em que se divide o absoluto entre mais de um fornecedor, às vezes por incapacidade operacional de um dos fornecedores)

    - O MÁXIMO é o número máximo de peças de um produto ou no caso, licenças, que um fornecedor tem capacidade operacional de suprir.
    Como se trata de licenças de software, é claro que o número pode ser bem alto, por ser um bem virtual (numeros seriais, etc). Então esse normalmente é apenas um valor de referencia caso o contratante necessite editar um aditivo por exemplo, para contratar 126 licenças e não 100 licenças por exemplo.

    Dessa forma, não acho que seu post esteja correto na forma como foi colocado. Não existe a menor possibilidade de se licitar 10 licenças e lançar mão de aditivos de forma a adquirir outras sei lá, 14900 licenças.

    Já vi sim lançarem mão de aditivos e dobrar ou triplicar o valor contratado, porém também lhe digo que hoje em dia o TCU não permite mais tal maracutaia sem uma EXCELENTE justificativa ou uma total retomada de preços.

    FM

    ResponderExcluir
  9. Olá a todos,

    Faço coro com o Feliciano. Os contratos do tipo select especificam somente o preço e quantidades mínimas e máximas dos softwares. Conforme já mencionado, provavelmente não será adquirido o número mínimo, mas também dificilmente será adquirido o número máximo de licenças. Além disso, as licenças muito caras geralmente se referem a softwares para servidor, sendo necessária a aquisição de apenas uma ou duas licenças.

    Atenciosamente,

    Flavio

    ResponderExcluir
  10. Cadê a bancada da oposição, no Estado, que não pede uma CPI da FDE? No fim isso acaba não dando em nada, acaba tudo em pizza.... Como sempre nesta terra de carcamanos.

    BRASIL!!!

    PS - E cadê a CPI do Rodoanel? (Onde há suspeitas de fraudes envolvendo, inclusive, o falecido pai da sinistra, e agora semi-liberta, Suzane Richtoffen. Brrrrrr... Que mêda!!!)

    ResponderExcluir
  11. Navegador - Nem me tente com uma proposta dessas, por favor.

    Anônimo das 18:20 - O(a) sr(a) está corretíssimo. Mas o Governo atual precisa mesmo de mais conselhos como este teu. Talvez mais lobby resolva? Se o que diz o Anônimo das 19:27 estiver correto (e está), como vendedor(?)ou representante da MS que mostra ser, creio que deveria se empenhar mais um pouco para isso acontecer. Ou esperar o Serra na presidência, não acha? Vai ser moleza, aí desgraças como esta serão distribuídas a todos, não só a alguns. Agradeço a visita.

    Amandalho - É verdade. Anos e anos de impunidade viciam. Maus exemplos não faltam. Até onde sei a Procuradoria e outras entidades já leram. Vamos ver. Volte sempre:-)

    - Feliciano e Flávio
    Concordo com vocês. Mas no texto está claro que o negócio "pode chegar" ao valor citado, ou bem próximo disto. Infelizmente a história mostra que há, sim, meios de prorrogação e justificativas. Veja por exemplo que o TC achou perfeitamente normal o aluguel das máquinas da CTIS (Educat). Não só achou normalíssimo como a CTIS conseguiu mais um contratinho de milhões com os mesmos envolvidos anteriores. Essa coisa de alongamento de prazos é usual, muito mais do que pensamos, e sempre aprovadas, até hoje, mesmo que com pequenas ressalvas do TC. Não se pode esquecer da forma do edital, como estão as coisas lá dentro, quais as manobras 'legais' possíveis (reveja e me ajude a corrigir as possíveis falhas). Portanto, o raciocínio é valido.
    Além do mais, o texto não pega apenas nisso, mas no fato da recorrência da MS - e as mesmas empresas/pessoas de sempre - nos negócios públicos, nos modelos de negócios, assim como pega com a 'qualidade' ou utilidade/relevância dos serviços comprados, sem falar nos valores. Há muitas outras prioridades sendo ignoradas.
    Se olhar a tabela, verá que querem 15 mil licenças caríssimas e não apenas duas ou três, como vc cita. Por este motivo as perguntas estão no texto: onde serão instaladas até 15 mil licenças de quase 5 mil reais? E por que não há transparência nos textos do DO - enviados pela FDE - quando dos pagamentos efetuados, quantidades e locais instalados?
    Esta forma de 'tomada de preços' é uma arma perigosíssima nas mãos de pessoas igualmente perigosas, não concorda? Vcs, como conhecedores do tema, sabem que não é mentira.
    Agradeço toda ajuda que puderem dar nisso. Boas explicações/traduções são bem-vindas. Voltem sempre.

    James Há mais poderes entre o céu e a FDE do que pode supor nossa vã filosofia. A caixa preta está sendo aberta. Siga lendo e verá.

    ResponderExcluir
  12. NaMaria,

    posso estar confundindo tudo, mas olha só, pesquisei essa licença no google (Forfrnt Clnt Sec Mgt Cnsl All Lng Monthly Subscription Mvl W/Sql) e achei a seguinte lista de preços:

    http://www.csuohio.edu/offices/ist/shoppingpcs/microsoft/PriceList.xls

    Se vc for à linha 157, verá que o preço dessa licença no varejo é de 45 dólares. Ou seja, um pouco abaixo do que o Serra paga.

    Na verdade, 50x mais barato!

    ResponderExcluir
  13. Eu bem sei, Anônimo das 16:40, este link que vc cita fez parte de minhas pesquisas. Até os encontrados em Euros são mais baratos. A mesma coisa foi comprada em universidade carioca e bem mais barato, foi comprado por Brasília mais barato... Mas esse daí é outro, né mesmo? Afinal, é da Brasoftware.
    Vc tá começando a pegar o espírito da coisa. Perfeito.

    ResponderExcluir
  14. Olhando a tabela de preços indicada pelo anônimo das 16h40, a impressão que se tem é que pode haver muitos produtos superfaturados:

    EXCHANGE SVR EXTRNCONN, de US$ 11.355, por R$ 56.735

    ISA SERVER ENT EDTN, de US$ 1.295 por R$ 6.467

    OFFICE SHAREPOINT CAL ALL LNG LIC/SA, de US$ 22 por R$ 105,09

    PERFORMANCEPOINT SERVER ALL LNG, de US$ 4.542 por R$ 22.694

    SHAREPOINT INTERNET ALL LNG, de US$ 9.298 por R$ 46.459

    VSTUDIO TEAM SUITE, de US$ 1.089 por US$ 8.021...

    ...e por aí vai.

    Belo trabalho!

    ResponderExcluir
  15. sugestão de home page para todos os computadores do tribunal de contas: http://namarianews.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  16. Desculpe-me fugir do assunto mas, o Serra declamando versos nos CDs que serão distribuídos a rede publica de ensino de São Paulo, não fere os preceitos de impessoalidade das ações e atos do governo?
    Abraços.
    Branca.

    ResponderExcluir
  17. NaMaria,
    parabéns, texto magnífico!

    Teu humor, provavelmente alimentado por ódio, é de primeira.

    Agora que já elogiei bastante :) farei um pedido:

    você teria algum link opcional com um URL mais confiável para o edital 52/0020/09/05? Um URL ".gov.br" talvez?

    Teria o PDF do referido edital?

    Aguardo.

    ResponderExcluir
  18. Achei:

    www.fde.sp.gov.br/Arquivo/DocLicitacoes/EDI_52_0020_09_05.doc

    ResponderExcluir
  19. M.B.Jr.
    Gratíssima pela visita.
    Quanto ao arquivo, ele é confiável no sentido de ser o original, só tendo sido salvo no serviço em que está.
    Mas vc pode procurar por ele no site Diário Oficial. Vá ao Busca de Negócios Públicos, e tenha paciência em vasculhar cada pedacinho. Só não te passo o link pq já não tenho mais e tb pq a coisa parece ser "mutante".
    Divirta-se;-)

    ResponderExcluir
  20. Caramba. E eu nem vi que vc havia achado.
    Blz:-)

    ResponderExcluir
  21. "Teje" convidada:

    http://quintalivre.org/

    Sua presença na verdade é necessária.

    Meu nome é Marcio (tem acento mas não gosto).

    ResponderExcluir