sábado, 21 de novembro de 2009

SARESP 2009: O rescaldo



A narrativa fecunda em incidentes do SARESP 2009, a barafunda abissal, por enquanto, pode assim ser resumida:
  • Nem todas as escolas/classes/turmas, como preferir, receberam as provas corretamente. Entenda-se: no caderno de provas de português deve constar apenas questões de português e não de geografia ou matemática, que seriam em outro dia, por exemplo. Então o Miguelito está lá respondendo sobre a metafísica de uma charge sobre cortadores de cana e quando vira a página encontra gráficos, números e equações sobre venda de banana a quilo. Miguelito pensa que pirou ou as regras mudaram repentinamente ou ainda, que transformou-se em vidente. Mas não: foi erro do grosso mesmo, daquele mutirão dos 350 (ou mais) levado às pressas para a gráfica tapa-buraco do SARESP, a IGB - Indústria Gráfica Brasileira (Barueri), com os ônibus da JWA Transportadora Turística, contratada sem licitação em caráter de urgência. Problemas desta natureza aconteceram aos montes, em graus vários e diversas localidades paulistas.

  • Nem todos os gabaritos das provas chegaram, quando chegaram não correspondiam com as provas. Quer dizer, a Secretaria da Educação e a FDE disseram ter criado 26 provas diferentes, com 24 questões cada, para evitar o ocorrido com o ENEM, há pouco mais de um mês. Vai daí que cada prova tem sua respectiva folha de respostas - as questões são as mesmas, o que muda é a ordem das perguntas. Se o Miguelito faz a prova modelo 24, deve ter em mãos o gabarito 24, onde assinalará as opções de respostas que julgar corretas. Acontece que Miguelito recebeu o gabarito da prova 13. Entretanto, no modelo 24 a resposta da questão 1 é C, e no modelo 13 é A. Elementar a confusão em cascata a partir disto, no momento da correção. Vale ressaltar que muitas unidades escolares receberam apenas os gabaritos, prova que é bom, necas; é a lei da compensação.

  • Nem todas as questões, por sua vez, tinham uma única opção correta, como costuma acontecer em avaliações corriqueiras e universais; assim sendo, ainda que o aluno tivesse chegado à resposta correta, teria que adivinhar qual era a alternativa correta. Da mesma forma, provas de matemática pediam que os alunos analisassem determinadas figuras, entretanto as tais figuras não estavam impressas para serem analisadas. (Comentário em Problemas na Aplicação do Saresp - 19/11/09)

  • Nem todas as escolas receberam provas em número suficiente para os alunos inscritos, enquanto que em outras era uma loucura e sobravam para todo lado. Isto é: provas das Escolas P, R e S foram parar na Escola X, que não precisava delas, deixando as Escolas P, R e S a ver navios enquanto a outra se afogava em celulose. Resultado: onde havia miséria de provas os professores tiraram cópias na base da vaquinha e/ou dinheiro da APM. Naquelas que as tinham de sobra, só Deus sabe o que foi feito com tanto papel, talvez o mesmo fim dado às montanhas de Caderno do Aluno, tão apropriadamente impressos pela Plural (a mesma gráfica do ENEM vazado), e outras de mesmo calibre.

  • Nem todas as escolas tiveram a sorte de contar com os aplicadores (R$50,00/período) e fiscais (R$100,00/dia) das provas, treinadíssimos e contratados a preço de ouro, porém muito mais em conta do que aqueles que serão designados multiplicadores no Nordeste (R$2.000,00/aula). Solução: diretores e demais responsáveis nas escolas se viraram nos trinta para tudo não se encaminhar ao brejo mais próximo. Agora só falta saber como essas pessoas serão pagas e quando, já que não tinham contrato como o dos faltosos.

  • Nem todos os professores, diretores, aplicadores e fiscais ou gente com problemas sarespianos conseguiram falar com o 08007273112, número fornecido pela empresa que levou R$ 27.418.148,80 para cumprir o contrato do SARESP 2009, o CAEd. Portanto, deve ter gente que até agora não sabe o que fazer da vida.

  • Nem todos os alunos que ficaram sem responder à avaliação do sistema, por um fato ou outro, perderam a chance de demonstrar o que sabem. Benevolentemente foram marcadas novas datas: 20 ou 23/11, caso dia 20 tenha sido feriado na cidade. Portanto engana-se quem pensa que o bafafá terminou.

Embora a grande imprensa tenha se mantido taciturna, o tema foi cansativamente explanado pela assessoria de imprensa da Secretaria da Educação. Vejamos:
  • Para o caso do sorumbático 0800 que não atendia ninguém, a assessoria de imprensa da SEE explicou que a Embratel comeu bola ao confundir milhares de chamados de professores em pânico com um furioso ataque de hackers, mancomunados que estavam para escangalhar com o SARESP. O procedimento é normal, disse a assessoria de imprensa da SEE.

  • Para o caso das escolas em Mairiporã, Caieiras, Francisco Morato, Cajamar, Atibaia e outras que receberam provas de português pela segunda vez, quando deveriam ter recebido de matemática, a assessoria de imprensa da SEE informou que a ocorrência não foi significativa o suficiente para paralisar o andamento da prova e não terão [sic] grande influência no resultado da análise.

  • Da mesma forma, os 200 alunos (6 turmas) da EE Dr. Júlio Prestes de Albuquerque, em Sorocaba (90 km distante de SP, Rod. Castello Branco), se estreparam. Primeiro receberam as provas de uma escola de Santa Bárbara d'Oeste (130 km de SP, pertencente à região metropolitana de Campinas, Rod. dos Bandeirantes). Quando as novas caixas finalmente chegaram a diretoria tinha ordens de só abri-las na hora de cada prova. No dia da avaliação de matemática, no momento da distribuição, souberam que estavam com a de português, de novo. Diante disto atrasou geral e só terminarão o calvário dia 23/11. A assessoria de imprensa da SEE informou que o processo de avaliação não será comprometido.

  • No caso dos gabaritos trocados, a solução caseira foi simples: mandaram a gente riscar o número da folha de respostas e colocar igual ao da prova. Fala verdade, você aí não gostaria de participar dessas correções?

  • Para o caso perdido de Araraquara (273 km a noroeste de SP), no dia 18/11, apenas 20 mil alunos perceberam, ao mesmo tempo, que as provas de português estavam misturadas com as de geografia - cujo conteúdo só poderia ser conhecido no dia seguinte, junto com a prova de história. A assessoria de imprensa da SEE disse que o erro de empacotamento das provas foi isolado e não comprometeu a avaliação. Só as provas de geografia seriam substituídas, as demais deveriam ser guardadas.

  • Resumo final: O que você pensaria sobre isto, então?
    Pois saiba que a assessoria de imprensa da Secretaria da Educação e seu Secretário, classificaram os problemas como "normais" para um exame do tamanho do Saresp.
Não obstante tamanha normalidade, temos algumas perguntas/pensamentos básicos:

- O SARESP é um exame para avaliar o sistema educacional do estado e serve-se dos alunos para tal fim.

- O SARESP não pode e nem deve ser usado como moeda de troca entre escolas e estudantes, ou seja: ninguém pode chegar no aluno e falar "olha, Zezão, você faz a prova e te aumentamos as notas, tá bem?" ou "em vez do provão final, a nota que vale é a que você tirar no SARESP" ou "Zezão, se tu não fizer a prova do SARESP tuas notas vão pras cucuias e você repete de ano" ou "escuta bem, se vocês forem mal no SARESP terão tanta lição, mas tanta que nunca mais conseguirão levantar nem pra ir ao banheiro"... Deu pra entender? Tudo isso não pode ser feito. Mas é.

- O SARESP funciona por adesão e não obrigação; não se pode obrigar os estudantes a participar, mesmo que a escola tenha aderido; não pode haver, em hipótese alguma, represálias aos estudantes pelo não comparecimento às provas. Mas elas existem.

- Os alunos não sabem para que serve o SARESP e ouvem explicações no mínimo furadas: vamos receber mais materiais de consumo pela participação, vamos poder contratar pessoal de limpeza, a merenda vai melhorar... Tudo engodo. Quem faz isto está mentindo.

- O SARESP, na verdade, é mais uma forma de poder dar umas migalhas aos professores, em vez de aumento real, como deveria ser. É como a coisa do bônus. É como o programa por mérito. Se tua escola for bem, se melhorar te damos um "aumento". Daí o interesse em que alunos participem, sem eles, nada feito. Caso contrário é mais uma punição sob formas legais. Infelizmente muitas escolas por aí não revelam as reais intensões aos alunos. E quando o fazem, os alunos não estão nem aí.

- A avaliação, do jeito como é feita, não avalia nada - mesmo com todas as teorias e teóricos pedagógicos que a cercam, que fazem parte de grupos de seus estudos ou que estão metidos em suas comissões. Poderia ser séria, poderia ser uma maravilha. Mas não é.

- E já que o atual governo acredita tanto em pesquisas e estatísticas, por que não fazer o SARESP por amostragem? Seria mais barato, no mínimo. E menos estressante, com menores particularidades de logística etc..

- Está explicado porque tamanho caos é considerado completamente normal?

Agora, bacana mesmo é o que ocorreu entre as ETEC's (Escolas Técnicas), escolas estaduais e o boicote ao SARESP no qual participaram. Você poderá acompanhar o barraco generalizado aqui, em breve. Emocionantes histórias com personagens do bem e do mal, pensadores cordatos, ativistas coerentes, acéfalos fascistas, alcaguetes inatos e outras personas mais. Fique ligado.

Mais fontes de tudo aí acima? 1 # 2 # 3 # 4 # 5 # 6 # 7 # 8 # 9 # 10
(os números podem e serão ampliados).

23 comentários:

  1. hahahahahahahhhahah olha o título da foto .......... hahahhahaha.....
    NaMaria tu é o que há.
    Minha escola foi uma das que receberam as provas VIOLADAS!!!

    ResponderExcluir
  2. Uma coisa que me intriga demais é o pq do recolhimento dos cadernos de questões, será algo tipo: destruição das provas??
    Provas da incompetência deles????

    ResponderExcluir
  3. Melhor chamar o exame de "SA-IRRESP".

    ResponderExcluir
  4. No caso do vazamento do ENEM por parte da gráfica da Folha de São Paulo, o PiG (Partido da imprensa Golpista) fez um verdadeiro carnaval, omitindo, claro, que a responsabilidade era da Gráfica, que quebrou procedimentos contratuais.

    Agora, no caso desse caos nesse tal SARESP, o PiG mantém um silêncio cúmplice.

    Se o SARESP pretendia ser um panorama da Educação em São Paulo, conseguiu.

    ResponderExcluir
  5. Na escola onde apliquei as provas, sete alunos tiveram que voltar para casa, no terceiro dia, porque lhes faltaram as ditas cujas. E, como vc disse, nem sabemos quando vamos receber.

    ResponderExcluir
  6. Anônimo(a) das 17:49
    Pasme, tem professor esperando pelo pagamento do Saresp feito pelo CESGRANRIO, ano passado, até agora. Tenha fé.

    Vcs reclamaram sobre a falta de provas? Aconteceu o quê?

    ResponderExcluir
  7. namaria
    -depois de tudo
    -de ter participado dessa embromation sem tamanho
    -depois dos teus textos diretos na ferida da (des)educação governista
    -depois dessa porcaria de prova que não prova nada
    -depois de jamais ter aumento real........
    -eu só quero uma coisa pq não aguento mais:
    -mudar de planeta

    ResponderExcluir
  8. Duas fraudes no Saresp, saiu na Época:

    http://revistaepoca.globo.com/Revista/Epoca/0,,EMI105879-15228,00-O+PROFESSOR+PASSOU+COLA.html

    ResponderExcluir
  9. NaMaria,

    Parabéns pelo trabalho magnífico que vc tem feito para divulgar estes absurdos do governo SERRA. O MP deve estar sabendo de todas as informações postadas. Assim espero.

    ResponderExcluir
  10. APARECIDA CARDOSO NORCIA24 de nov de 2009 11:15:00

    E as Notas Fiscais “frias” nas escolas públicas?
    O jornal Folha de São Paulo está dando ampla divulgação sobre o uso de notas fiscais frias para justificar gastos dos deputados…
    Isso é muito bom…
    Mas qual será o motivo da Folha de São Paulo não divulgar o uso generalizado de notas fiscais frias nas escolas públicas:
    Por que será que a Folha não divulga o caso da Diretoria de Ensino de Araraquara-SP? Nesta diretoria, mais de 20 escolas foram acusadas de usar “notas frias” para desviar recursos públicos… o esquema acontece há mais de 10 anos…

    Seria interessante uma investigação profunda nas contas da FDE – Fundação para o Desenvolvimento da Educação de SP.

    Veja no site do EducaFórum: Para os leitores que não têm preguiça de acompanhar o caso, seguem os links para os proliiiiiiixos posts anteriores sobre o caso:
    Como funcionava o esquema de Araraquara?
    Cronograma do esquema de Araraquara
    FONTE:http://blig.ig.com.br/cremilda/

    ResponderExcluir
  11. CIBELE LOPES CAMARGO24 de nov de 2009 12:06:00

    Programa Magdalena
    19/11 - Desorganização à toda prova


    Desorganização à toda prova

    Não adiantou o governo paulista adiar em uma semana as provas do Saresp, sistema de avaliação do ensino estadual, por problemas no preparo das provas.

    O primeiro dia do exame revelou a distribuição de folhas de respostas incompatíveis com as provas de português e matemática, além de uma questão apresentada sem figura.

    Araraquara foi destaque na imprensa e em portais da internet com as questões de geografia misturadas com português.

    A secretaria da educação se limitou a dizer que o erro foi no empacotamento das provas e que são fatos ‘normais’.

    Num estado que aprova sem saber ler e escrever, entrega cartilhas com dois Paraguais, palavrões e outros erros grosseiros, tudo soa ‘normal’. (Álvaro Taniguti)

    fonte:http://www.radiomorada.com.br/Home/Default.aspx

    CIBELE LOPES CAMARGO

    ResponderExcluir
  12. Fernanda Maria Fornaziari Musto Gurgel30 de nov de 2009 08:36:00

    NAMARIA ESTÁ ACONTECENDO EM ARARAQUARA MAIS UMA VEZ O PREVISIVEL:
    Namaria mais uma vez AS IRREGULARIDADES NA DIRETORIA DE ENSINO DE ENSINO DE ARARAQUARA QUE FORAM DENUNCIADAS PELOS APLICADORES AO JORNAL TRIBUNA IMPRESSA DA CIDADE DE ARARAQUARA NAÃO FORAM TRATADAS COMO "IRREGULARIDADE", JÁ PODEMOS CLASSIFICAR ESTAS DIRETORIA COMO A MÁGICA CONSEGUEM FAZER DESAPARECER DA MENTE DOS GOVERNANTES ATÉ OS INDICIOS DE IRREGULARIDADES, OU PORQUE NÃO DIZER "ARARAQUARA A TERRA DA DIRETORIA DA FANTASIA" - NAMARIA ME REPOSNDE POR FAVOR,
    QUAL É O INTERESSE DA SECRETARIA DA EDUCAÇÃO EM DIVULGAR QUE O QUE OCORREU NAQUELA DIRETORIA FOI "NORMAL"? PORQUE NÃO AVERIGUAR E OUVIR OS DENUNCIANTES, ALUNOS, PAIS DE ALUNOS, FISCAIS, APLICADORES ETC? - LEIAM AMIGOS LEITORES DESTE NOTAVEL E HONESTO BLOG A NOTICIA JORNAL TRIBUNA IMPRESSA - Cidade Araraquara - SP.
    Manchete: 18/11/2009 - Vazamento de prova de geografia compromete Saresp.
    COMO NAS DIRETORIAS ABAIXO RELACIONADAS?
    SERÁ QUE É MEDO DE SE CONSTATAR QUE ESTA DIRETORIA EXISTE UM SE SÉRIO PROBLEMA de "esquema de corrupção", sendo assim o governo Tucano não quer ver vir A TONA o esquema deu origem ao "ESQUEMÃO DE NOTAS FISCAIS FRIAS" dos diretores de escola?".

    ResponderExcluir
  13. Fernanda Maria Fornazieri Musto Gurgel30 de nov de 2009 08:39:00

    CONTINUA A IMPNIDADE À DIRETORIA DE ENSINO DE ARARAQUARA:
    COMUNICADO DA SEE-SP.
    Comunicado
    Aos Dirigentes Regionais de Ensino, Supervisores de Ensino,
    Diretores de Escola e Professores,
    O Secretário da Educação, à vista das reclamações e denúncias
    chegadas ao seu conhecimento, por intermédio da Ouvidoria da Pasta
    e de veículos de comunicação, envolvendo a aplicação de provas do
    Sistema de Avaliação de Rendimento Escolar do Estado de São Paulo –
    SARESP, e considerando a necessidade de se proceder à apuração dos
    fatos e de garantir aos alunos e equipes pedagógicas o pleno exercício
    de seu direito à participação nesse processo, comunica aos interessados
    o que se segue:
    a Ouvidoria registrou as reclamações e questionamentos
    enviados pelos Dirigentes Regionais de Ensino a esta Secretaria,
    envolvendo as seguintes escolas:
    1. EE Profª Darci Lopes - DE/Jacareí
    2. EE Graciema Baganha Ribeiro - DE/Marília
    3. EE Prof. Luiz José Dias - DE/Apiaí
    4. EE Profª Benedita de Resende - DE/Leste
    5. EE Bairro Galo Branco - DE/São José dos Campos
    por intermédio da Ouvidoria da Fundação para o Desenvolvimento
    da Educação – FDE, e da Central de Atendimento desta
    Pasta, chegaram a esta Secretaria reclamações de supostas
    irregularidades ocorridas nas seguintes unidades:
    1. EE Prof. Orlando Ellero, em Vargem Grande Paulista
    2. EE Prof. Galdino Moreira, no Guarujá
    3. EE Profª Otília de Paula Leite, em Salto
    4. EE José Antonio Santana, em Guaraci
    5. EE Zenaide Pereto, em Mococa
    6. EE Nancy de Oliveira Fidalgo, DE Leste
    7. EE Profª Beatriz Lopes, DE Sul 3
    Segundo notícia veiculada em revista de grande circulação,
    há notícia de possíveis irregularidades ou fraudes ocorridas em
    Franco da Rocha, na EE Benedito Aparecido Tavares, e em São
    José dos Campos, na EE Lourdes Maria Camargo e na escola
    municipal Leonor Pereira Nunes Galvão.

    ResponderExcluir
  14. Fernanda Maria Fornazieri Musto Gurgel30 de nov de 2009 08:41:00

    Diante dessas notícias, o Secretário da Educação determina às
    autoridades responsáveis, no âmbito do seu campo de atuação, que
    procedam à apuração dos fatos, tomem as providências que cada situação
    exige e solicitem, em caso de suspeita de fraude ou outro crime,
    boletim de ocorrência junto às autoridades policiais, sem prejuízo das
    medidas administrativas recomendadas.
    Nos casos de comprovada fraude no uso de cadernos de
    provas ou na aplicação das avaliações a alunos de escolas da
    rede estadual, os resultados da avaliação dos envolvidos não
    serão considerados e a apuração de responsabilidades será
    realizada nos termos da lei. Em relação aos resultados comprovadamente
    fraudados, a Secretaria da Educação adotará as
    seguintes providências:
    1. novos instrumentos de avaliação, equivalentes aos do
    SARESP/2009, serão aplicados às turmas de alunos ou às escolas
    prejudicadas, para que o diagnóstico das necessidades de
    aprendizagem possa efetivamente refletir a realidade e permitir
    a retomada do processo de aprendizagem dos alunos;
    2. O bônus das equipes pedagógicas envolvidas nessas
    turmas ou escolas, em que se verificou fraude, será calculado
    com base na média observada na diretoria de ensino a que
    pertencem essas equipes.
    Comunica, ainda, que todas as reclamações recebidas nesta
    Secretaria serão analisadas e repassadas às autoridades regionais
    para as providências cabíveis.
    É oportuno lembrar que o SARESP/2009 foi aplicado em
    8.759 escolas, sendo 5.143 da rede estadual/SE; 88 da rede
    estadual/outras; 3.237 municipais e 291 particulares.
    Aguardamos do Excelentissimo Governador José Serra, da Grande Mídia e do Senhor Secretário da Educação Paulo Renato a mesma conduta com todas as escolas que foram amplamente denunciadas pela mídia e na Ouvidoria, o que não ocorreu devido a não inclusão da diretoria de ensino de Araraquara.

    ResponderExcluir
  15. Fernanda Maria Fornazieri Musto Gurgel30 de nov de 2009 08:42:00

    Aguardamos urgente inclusão desta diretoria de ensino, para evitar mais uma vez a clara "proteção a suposta rede de corrupção lá existente".
    Problemas com o SARESP ?

    Houve algum problema com o Saresp, na sua escola?

    Se houve, oficie, imediatamente, à Diretoria de Ensino, relatando os casos ocorridos, até para não ser prejudicado, mais tarde, no bônus.

    Envie uma cópia desse ofício à Udemo Central.

    Veja, abaixo, uma matéria sobre as barbaridades do Saresp.

    Matéria publicada no site FOLHA ONLINE - 19/11/2009 - 08h27
    Exame para 2,5 milhões de alunos de São Paulo apresenta falhas


    do Agora
    da Folha de S.Paulo
    da Folha Ribeirão

    Depois de ser adiado em uma semana, o Saresp, exame do governo paulista que avalia os alunos da rede, foi marcado por novos problemas na quarta-feira (18), quando foram realizadas as provas de português e matemática.

    Parte dos alunos recebeu provas em que a folha de respostas não era compatível com o caderno de perguntas, e em uma questão faltou uma figura.

    Os problemas foram identificados pela reportagem em Mairiporã, Caieiras, Francisco Morato e Cajamar, na Grande SP, e em Atibaia (64 km da capital).

    O Saresp avalia a situação das escolas e da rede e é o principal fator considerado para pagamento de bônus por desempenho aos professores. Participam 2,5 milhões de estudantes.

    A avaliação inclui 26 tipos de prova, com 24 questões de múltipla escolha cada uma. As questões são as mesmas, mas a ordem delas é alterada para dificultar a cola entre os alunos.

    Com o erro nas provas, estudantes se confundiram na hora de passar a resposta para o gabarito e chegaram a rasurar a folha. Eles dizem temer que haja distorções na correção e que ela seja feita à mão, e não por meio digital, como previsto.

    O aluno Vinícius Timm de Alencar, 19 anos, contou que, após 30 minutos de prova, a diretora da escola apareceu na sala, quando foi detectado o erro. "Ninguém sabia o que fazer. Aí, mandaram a gente riscar o número da folha de respostas e colocar igual ao da prova."
    "Essa confusão gera um estresse para os alunos, o que prejudica os resultados", diz Ocimar Alavarse, professor da Faculdade de Educação da USP.

    A Apeoesp (sindicato dos professores da rede estadual) disse que deve entrar com medidas judiciais contra o Saresp. Uma pergunta do teste de matemática do 3º ano pedia a observação de um polígono, que não aparecia na prova.

    Em outro erro, uma escola de Araraquara (273 km a noroeste de SP) recebeu as provas de geografia misturadas com as de português. As questões de geografia deveriam ser abertas apenas hoje, quando também acontece a prova de história.

    O Saresp, que deveria ter sido aplicado na semana passada, foi adiado porque o Caed (Centro de Políticas Públicas e Avaliação da Educação), empresa contratada para aplicar o exame, não conseguiu entregar todas as provas a tempo.

    Outro lado

    A Secretaria da Educação classificou os problemas como "normais" para um exame do tamanho do Saresp e afirmou que não haverá distorções. Em relação ao caso de Araraquara, disse que o erro de empacotamento das provas foi isolado e não comprometeu a avaliação.
    O Caed disse que a correção poderá ser feita digitalmente.
    Fonte: UDEMO.

    ResponderExcluir
  16. Fátima de Carvalho Ventidue2 de dez de 2009 07:51:00

    30/11/2009 - 09:43
    Escolas acusadas de fraudar o Saresp

    O Sistema de Avaliação do Rendimento Escolar de SP (Saresp) aplica provas anuais para os alunos da rede estadual de SP. Mas estas provas não servem para “aprovar nem reprovar” o aluno. As médias dos alunos servem para avaliar o desempenho da escola. E também servem como referência para o pagamento de bônus aos professores e funcionários.
    Se as notas não servem ao aluno, então quem é o principal interessado em fraudar o exame do SARESP???

    A Ouvidoria registrou as reclamações e questionamentos enviados pelos Dirigentes Regionais de Ensino a esta Secretaria, envolvendo as seguintes escolas:
    1. EE Profª Darci Lopes – DE/Jacareí
    2. EE Graciema Baganha Ribeiro – DE/Marília
    3. EE Prof. Luiz José Dias – DE/Apiaí
    4. EE Profª Benedita de Resende – DE/Leste
    5. EE Bairro Galo Branco – DE/São José dos Campos
    por intermédio da Ouvidoria da Fundação para o Desenvolvimento da Educação – FDE, e da Central de Atendimento desta
    Pasta, chegaram a esta Secretaria reclamações de supostas irregularidades ocorridas nas seguintes unidades:
    1. EE Prof. Orlando Ellero, em Vargem Grande Paulista
    2. EE Prof. Galdino Moreira, no Guarujá
    3. EE Profª Otília de Paula Leite, em Salto
    4. EE José Antonio Santana, em Guaraci
    5. EE Zenaide Pereto, em Mococa
    6. EE Nancy de Oliveira Fidalgo, DE Leste
    7. EE Profª Beatriz Lopes, DE Sul 3

    Denúncia feitas na imprensa:
    EE Benedito Aparecido Tavares, e em São José dos Campos,
    EE Lourdes Maria Camargo e
    escola municipal Leonor Pereira Nunes Galvão.

    Curiosidade: por que será que a Secretaria Estadual de Educação não publica o número de alunos de cada sala de aula para que todos possam saber quantos alunos fizeram provas e quantos faltaram??? "E a inclusão da diretoria de ensino de Araraquara na lista das escolas que fraudaram o Saresp/2009?" (Fátima de Carvalho Ventidue).




    Autor: Mauro A. Silva : Corrupção, Impunidade - Fonte Cremilda dentro da escola
    Fátima de Carvalho Ventidue

    ResponderExcluir
  17. Namaria
    depois de tudo vamos ter outra festança no Palácio do Governo depois daquela de setembro com a microsoft. Namaria, trabalho em uma Diretoria de Ensino de SP e recebemos esta espécie de sutil convocação para os alunos que são monitores do Acessa Escola. Acontece que chamam a festa de CERIMÔNIA DE FORMATURA para os estagiários que estão concluíndo o ensino médio. Temos de garantir que todos estejam nas DEs pela manhã para pegar um ônibus prá levar todo mundo lá no Palácio hoje até a hora do almoço.
    Namaria, há alguns dias foi feita outra festa com cara de capacitação para os mesmos alunos. Não sei o que aconteceu porque essas reuniões eram sempre na Unibam e de repente resolveram fazer numa escola das nossas mesmo. O Serra disse que ia mas não apareceu. Esperavam uns 2 mil alunos, mas foram menos de mil, a escola estava quase vazia eu estava lá. Tu sabes quanto custou? E quem fez o serviço do evento? Tinha equipe de filmagem, brincadeiras (games), tvs plasma, telão, imitação de programa de tv.... Nossos alunos contaram que tinha tanto sanduíche sobrando que daria pra vender no estádio em final de brasileirão só que os sanduíches não eram nada bons. Só mais um detalhe Namaria os alunos estagiários do Acessa estão saindo das escolas, então prá que "capacitação"?
    Muitos meninos e meninas da nossa Diretoria NÃO IRÃO NESSA FORMATURA porque mais da metade passou o tempo todo do estágio numa sala vazia sem fazer nada mas recebendo pelo "estágio". Porque as salas ficaram sem computadores, sem fazer nada porque não tinha máquinas que nunca chegaram e sem fazer nada também porque o blucontrol não funcionou nunca, porque todas as nossas chamadas de reclamação não foram atendidas pela FDE, entre outros motivos ainda piores. Eles não irão. Estão corretos em não comparecer nessa convocação vestida de convite amigável. VAI SOBRAR MAIS LANCHINHO.
    Por favor denunciem isso pessoal do Namaria. Olha a carta que nos enviaram convocando.
    Abraço prá você e leitores da nossa triste deseducação paulista.

    Formatura dos Estagiários do Programa Acessa Escola

    Prezado(a) Sr(a) Dirigentes e
    PCOPs gestores do Programa Acessa Escola.

    Nesse final de ano 1.311 estagiários que cumpriram 2/3 da capacitação continuada do Acessa Escola estão deixando o Programa por um motivo que nos enche de orgulho: o término do Ensino Médio.

    Estamos certos de que eles seguem para uma nova etapa de suas vidas com uma bagagem diversificada e que parte das experiências que contribuiram para seu crescimento estão vinculadas à participação no Acessa Escola.

    Nada mais justo que comemorarmos, juntos, essa conquista coletiva.

    Por isso, com satisfação, convidamos a todos para a

    CERIMÔNIA DE FORMATURA

    Que acontecerá no palácio do governo do Estado de São Paulo, Av Morumbi, 4.500 - São Paulo - SP, às 12 horas do dia 10 de dezembro de 2009.

    Contamos com a presença de todos.

    Solicitamos que, para o sucesso do evento, as Diretorias garantam a presença de todos os estagiários-formandos. A FDE está disponibilizando transporte para o local, com saída marcada para as 9 horas em todas as DEs.

    Ao chegarem no Palácio do Governo, os estagiários serão recepcionados com um lanche. Posteriormente, receberão um atestado na presença do Sr. Governador do Estado.

    Salientamos nosso desejo de que essa comemoração se configure como uma forma de agradecer a colaboração e fortalecer o protagonismo desses jovens.

    Cordialmente,

    Diretoria de Tecnologia da Informação
    Fundação para o Desenvolvimento da Educação

    ResponderExcluir
  18. Agora fd..., será que não vou receber os meus 450 reais como aplicador da prova do Saresp?

    ResponderExcluir
  19. Eu apliquei 4 provas e só recebi 2, o pior é que não tenho nem com quem reclamar! Se alguem souber o que posso fazer agradeço a ajuda!

    ResponderExcluir
  20. Ola GALERA, É O SEGUINTE, DESCOBRI HOJE DIA 15/01 QUE OS DEPOSITOS NÃO FORAM FEITOS NA NOSSA CONTA E SIM PASSADO UMA ORDEM DE PAGAMENTO PELO BANCO DO BRASIL, TODO PAGAMENTO ESTA NA AGENCIA DO BANCO DO BRASIL, LEVEM CPF E RETIREM, POIS ELES VÃO RECOLHER LOGO O DINHEIRO DE QUEM NÃO FOI RECEBER..QUALQUER DUVIDA, ME ADCIONE NO MSN CRISTIANOSOUZAG@HOTMAIL.COM

    ResponderExcluir
  21. quem nao recebeu ou recebeu a menor do Caed, ligue 08007273142 e aguarde por cerca de 40 segundos que eles atendem.O o valor de cada turno para fiscal é de R$ 31,75. Mesmo quem optou por deposito em conta corrente eles estão pagando via ordem de pagamento pelo Banco do Brasil.
    ffatigatti@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  22. E o resultado do "questionários dos pais" no SARESP (acho que só no de 2008) saiu?

    ResponderExcluir
  23. Trabalhei em uma escola estadual em Marília. Melhor dizendo em Avencas, subdistrito de Marília. Uma escola que, além de subdistrito, recebe alunos da área rural. Quanto a isto tudo bem - em partes - pois com professores interessados qualquer lugar a escola deve ser de boas qualidade. Não era o caso, pois lá as crianças saiam sem aprender nada.
    Trabalhei como Agente de Organização Escolar temporário e fiquei um ano na secretaria da escola.
    O Saresp de 2008 foi muito estranho, pois as crianças fizeram as provas à lápis, por orientação da diretora e dos professores que aplicavam as provas. Coincidiu, porém, com aquele prêmio que o governo oferece aos professores, chamada de BR (Bonificação por Resultados), onde o professor "fatura", conforme as notas obtidas pelos alunos.
    Engraçado que lá todos faturaram uma bolada. Até a Agente de Serviços faturou.
    Desconfiei que havia algo errado, mas não tinha certeza, pois todos se reuniram na sala de reunião e não deixavam a gente entrar. Penso que mandaram as crianças fazer à lápis para manipular o resultado.

    ResponderExcluir