terça-feira, 1 de dezembro de 2009

InfoEducacional e SEE-SP: Buracos negros nos contratos


Inestimável ser ledor;
Se acaso você atentou para o texto imediatamente anterior a este, ao menos uma dúvida malebra deve ter se fincado em seu cerebelo, tal qual micuim sedento nos flancos traseiros de um muar.

Pois repare, pense junto:

A InfoEducacional vendeu à FDE e SEE-SP, por mais de 10 milhões de reais, o software Virtus - Módulos Básico, Intermediário e Avançado - de Língua Portuguesa, de Matemática e de Língua Inglesa, que serviu para dois projetos educacionais da FDE: Trilha de Letras e Números em Ação - de Português e Matemática, respectivamente, desenvolvidos pela equipe da gerência de informática pedagógica da FDE, a pedido da Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas (CENP) da Secretaria de Estado da Educação, então por que cargas d'água estava no meio um software de Inglês?

Sinceramente não entendemos nada. Como se vê em todos os pagamentos demonstrados pelo Diário Oficial (ver texto anterior), constam as partes pagas/contratadas referentes à Língua Inglesa, mas não aparece qualquer projeto usando o Virtus do Mineirinho no mesmo idioma dentro da FDE ou SEE-SP.

Mesmo porque também não aparece nos sites da empresa do Mineirinho Alexandre Tavares de Assis um software de Inglês. Duvida? Confira no InfoEducacional e Virtus Letramento:
1- Produtos Virtus (ver também todos os 5 itens da aba "Produtos"): não consta Inglês;
2- Virtus Letramento, aponte para "Sistemas" e percorra a linha verde, logo acima: necas de Inglês;
3- No mesmo Virtus Letramento, visite a aba "Cases de Sucesso", de qualquer dos Estados: nothing about English.

Ou seja: sem sinal de que haja a língua de Shakespeare na jogada. Mas a FDE pagou pela coisa.

Bom, vai daí que podemos estar enganados, por que não? Afinal, o Diário Oficial de SP fala certo por linhas tortas - e vice-versa. Eis que em meio ao caos das buscas encontramos uma ponta de esperança: a compra de outro software no mesmo dia em que dispensaram de licitação a InfoEducacional. Trata-se do Tell Me More. Observe que tocante o contrato do dia 18/dezembro/2003 (pelo qual foram pagos R$338.578,00 no dia 30/abril/2004):
Declarando inexigível a licitação (...) 31/1126/03/04, por ser inviável, eis que se trata de aquisição de 4.100 Softwares Educacionais “Tell me more Pro” - módulo básico A e B, e módulo intermediário A e B, para 569 novas escolas atendidas pelo PROMED - na implantação de salas ambientes multiuso, a ser adquirido do “COLÉGIO BANDEIRANTES LTDA - Divisão Educare”, conforme declaração da ASSESPRO-MG Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, Software e Internet de Minas Gerais. COLÉGIO BANDE INFO EDUCACIONAL LTDA., fornecedora exclusiva, conforme declaração da ASSESPROMG Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação, Software e Internet de Minas Gerais.
E então as esperanças se danam, mais perguntas aparecem em aluvião. Se a FDE havia comprado software de Inglês do Mineirinho (e aparentemente nunca viu, não usou), por que comprou outro da Educare, que pertence ao Colégio Bandeirantes (que por sua vez tem Hubert Alquéres em seus quadros e adjacências)?

Repare que no DO há apenas estas duas ocorrências aqui citadas para o contrato 31/1126/03/04. Entretanto, observe bem o seguinte item do texto anterior, referente ao dia 30 de abril de 2004:

- Contrato: 31/1125/03/04
- Empresa: Info Educacional Ltda
- Objeto: Aquisição de 4.100 Licenças do Software “Tell Me More Pro”
- Prazo: 30 dias
- Valor: R$ 307.500,00
- Data de Assinatura: 19/04/2004.

Ou seja, deu pra entender alguma coisa? O Tell Me More não era do Educare? Então como foi pago/comprado também à InfoEducacional? Quer dizer que devemos acrescentar R$646.078,00 aos R$10.767.860,00 (= R$11.413.938,00) pagos ao Alexandre de Minas e do Arruda DF-DEM? O que a Educare tem a ver com a InfoEducacional? Que raio de confusão é essa, gente?
O DO ainda vai deixar todo mundo louco.

4 comentários:

  1. A coisa tá preta! Hummm esse Arrudão vai fazer estrago pra todo lado

    ResponderExcluir
  2. " o Diário Oficial de SP fala certo por linhas tortas - e vice-versa"
    vou de carona nesse bordão:
    O DO-SP paga certo por lides incertas- e serra encerra.

    ResponderExcluir
  3. e eu que achava um rooooubo a pintura do prédio da escola onde leciono ter ficado em R$ 80.000,00
    pagos generosamente aos pintores pela FDE!!!
    a escola deve ser um lugar bonito e bem cuidado, mas pelo que vi não tinha ouro nas tintas!
    imagine, isso é só um pitaquinho da grana que escorre pelo ralo...
    tem tanta gente levando...
    qdo grana da educação deveria ser usada para valorizar o agente da educação e melhorar, de fato, as condições das escolas prá aqueles para os quais as escolas foram feitas, nossas crianças!!
    semana passada chegaram as apostilas do 4º bimestre que começou em 01 de outubro
    kkkkk
    mas tb já chegaram os kits dos alunos pro ano que vem!
    material de primeira, disse quem viu!
    qto será q custaram de verdade? afinal prá uma boa campanha política nada como pão e circo, educação de verdade que é bom naaaada!
    pq daí pais e alunos conseguiriam ver q o brinde é prá esconder as falcatruas q usam a fachada da educação prá levar muuuuuita grana prá bolsos nada educativos!!
    paternalismo tb é usado prá esconder grana indo pelo ralo...
    até qdo ?????

    ResponderExcluir
  4. Namaria

    Entre no site do tal Virtus Letramento, na parte de imprensa. Veja a lista de clientes. O Mineirinho tinha toda razão em comemorar.

    http://www.virtusletramento.com.br/page/?n1=imprensa&n2=listanoticias

    ResponderExcluir